28/02/2019

Clara Crocodilo



Clara crocodilo
deixa eu espremer
esse cravo encravado no teu couro
Espinha dorsal do nosso amor

Morde minha carne
de réptil apaixonado
que rasteja por entre outros
seres de pântano

Águas turvas
de suas lágrias fingidas
tão claras que não vi o fundo

Nesse mundo colorido
sei bem como é:
Clara saiu do casco, virou Jacaré!

Foi nadar em outras águas...





Nenhum comentário: